índice
  Praga, Praha, Prague  
 
 

Praga (em checo Praha) é uma das mais belas capitais da Europa e a maior cidade da República Checa. Situada na margem do Vltava, surgiu a partir da construção de um castelo na atual Hradcany e da cidadela ao seu redor, no Século Nove.

Praga permanece praticamente intocada em sua atmosfera melancólica, tão característica da Europa do Leste. Tendo sobrevivido às duas grandes guerras deste século, ainda hoje, anos após a queda do comunismo, celebra uma espécie de renascimento cultural que toma conta da cidade durante o ano inteiro.

Recebeu entre outros apelidos o de "cidade dos cem pináculos", a "cidade dourada", a "mãe de todas as cidades" e "coração da Europa". Por toda parte, turistas circulam descobrindo a beleza da cidade, representada pela arquitetura gótica, palácios barrocos e edifícios Art Nouveau. Muitos destes reconstruídos em estilo renascentista após terem sido danificados em um incêndio no Século Dezesseis. Desde 1992, o centro histórico de Praga faz parte da lista do património mundial da UNESCO.

Comunidade judaica


História
A presença judaica na ex República Checa remonta há mais de mil anos. Acredita-se que os judeus viveram na Bohêmia e Morávia no século Dez onde há registro de passagem de judeus mas o nascimento de comunidades foi estabelecido no século Onze. No século Treze a vida judaica começou a florescer em todas as regiões como Praga, Brno e Mikulov. No Século Dezesseis Praga tornou-se o centro da vida judaica na Europa com a liderança e influência de renomados rabinos entre os quais Rabi Yehuda Leow, o Maharal de Praga (1510-1609).


A cidade à noite

Ao irromper a Segunda Guerra Mundial havia 90 mil judeus na Bohêmia e Morávia, dos quais cerca de 80 mil foram mortos no Holocausto. A maioria pereceu no gueto de Terezin ou foram deportados de Terezin para Aushwitz.

Sob o regime comunista, os judeus da República Checa continuaram a sofrer perseguições Houve um alívio e uma tentativa de acertar os erros durante a curta Primavera de Praga em 1968, mas após a invasão soviética, o regime comunista checo continuou sendo um dos mais opressores na Europa Oriental, contra todas as práticas religiosas.

O regime comunista assistiu seu final em 1989 e a vida judaica começou a surgir novamente particularmente em Praga. Em dezembro de 1992 a Slovakia e a República Checa pacificamente estabeleceram sua parceria. Hoje vivem cerca de 7 mil judeus em Praga Há também uma crescente comunidade de expatriados e milhares de visitantes judeus anualmente.

Chabad-Lubavitch
Chabad começou suas atividades em Praga em1975 com a ida e vinda de emissários de Londres e Nova York que levavam em sua bagagem encorajamento e ânimo à comunidade judiaica que habitava o país na época da cortina de ferro.


Mapa

Em 1996 shluchim se estabeleceram em Praga fixando residência com a finalidade de promover inúmeras atividades na república Checa para que todos judeus, independente de seu grau de religiosidade e vínculo, pudessem retornar a sua verdadeira origem e conhecer seu legado.

Chabad-Lubavitch hoje possui sinagoga, pré-escola, e desenvolve inúmeras atividades como a celebração das festas judaicas, colônia de férias, programas culturais e sociais para crianças, jovens e adultos, além de estudos de Torá. Também recebe milhares de turistas durante o verão e convida jovens para passar Shabat na sinagoga ou na residência dos shluchim. A sinagoga fica no coração de Praga, no bairro judaico, lotado de turistas. Na república tcheca foram também estabelecidos batei Chabad nas cidades de Brno, Liberec, Olomouc, Ostrava,Plzen e Teplice.

O Maharal
O Rabi Yehuda Loev ,Maharal de Praga, é conhecido por judeus do mundo inteiro hoje, mesmo após anos de sua morte. Para eruditos do Talmud ele é autor de comentários profundos. Para aqueles interessados em filosofia judaica e ética, seus escritos ultrapassam qualquer tempo. Para o leitor comum, as histórias do Golem, criado em 1580 pelo Maharal, são fascinantes.


Relógio Astronômico

O Maharal conseguiu sintetizar o vasto conhecimento e divulgar a veracidade da Torá de forma extremamente relevante para a sua geração. Seu sucesso foi tão completo que até nossos dias seus escritos servem de inspiração para muitos judeus, entre eles líderes que neles se basearam para estabelecer os próprios parâmetros de ensino. A influência do Maharal pode ser notada nos ensinamentos do chassidismo. Rabino Shneur Zalman, fundador do Movimento chassídico Chabad e descendente direto do Maharal, baseou grande parte de sua famosa obra, o Tanya, nos ensinamentos de seu bisavô.

O Maharal era muito ativo no trabalho comunitário. Esforçou-se para que fosse desenvolvida a ética social. Foi um educador com ampla visão e estabeleceu reformas educacionais que influenciaram muitas pessoas. Uma figura fascinante, que superou a discórdia na comunidade, e liderou com vigor sendo reconhecido por sua grandeza: um judeu que recebeu a homenagem singular do Imperador da Boêmia; um homem cuja visão da Torá é uma expressão daquilo que há de melhor no caráter humano; um homem do seu tempo e além do seu tempo – este foi o Maharal

Seu local de repouso encontra-se no Velho Cemitério judaico de Praga visitado por milhares de pessoas o ano todo.

O Golem
Yossef, ou Golem, foi criado a partir dos quatro elementos (fogo, terra, água e ar) através do conhecimento cabalístico do Maharal que obteve permissão Divina de recorrer a forças espirituais especiais para criar um ser sagrado, desprovido de alma, que obedecesse a todas as ordens de Rabi Loev. Era extremamente forte, e criado com o objetivo de proteger os judeus ameaçados de extermínio salvando suas vidas.

Quando o povo judeu não sofria mais ameaças, sua existência perdeu sentido, pois sua missão já fora cumprida. Quem visita Praga atualmente poderá entrar na sinagoga do Maharal, local provável onde está enterrado o Golem [Segundo certas opiniões, no sótão], mas a presença de pessoas é vetada neste recinto, porque conforme os relatos, se tentar aproximar-se ela perde a própria vida.

Turismo


Ruas de Praga

Um bom programa é caminhar sem rumo definido pelas ruas estreitas da cidade, por suas arruelas e pontes, arquitetura histórica e palácios onde ocorrem concertos o dia todo.

Josefov
Bairro judeu a cinco minutos a pé da Praça Central, reúne seis das mais antigas sinagogas da Europa, como a Staronová de 1270, e o cemitério construído em 1470, com 12 mil lápides. O bairro foi refomado na virada do século, por exigência do governo, que via nos edifícios antigos uma ameaça à saúde pública. Hoje, a arquitetura em estilo "art noveau" domina a paisagem.

Castelo de Praga
Sede do governo e residência do presidente desde 1918, o castelo começou a ser construído no século 9, mas passou por várias reformas. Não se pode deixar de visitar os jardins e a viela dourada, uma ruazinha estreita ladeada por pequenas casas construídas no século 16 e hoje ocupadas pelo comércio local. A casa de número 22 foi, por um curto período, residência de Kafka.

Antigo Palácio Real
Residência de príncipes e reis da Boêmia entre os séculos 11 e 17 e onde ocorre a cerimônia tradicional da troca da guarda.

Praça Central
Staromestke námesti
É o centro vital de Praga, onde têm lugar os principais eventos. É usada como ponto de referência e partida para conhecer o resto da cidade. Ao redor da praça, pequenas galerias com arcadas que emolduram o local.

Ponte Charles
Karluv Most

Essa obra gótica com 520 m de extensão teve sua construção iniciada em 1357, por ordem de Carlos 4, e hoje é um dos símbolos de Praga, ligando as duas partes da cidade por sobre o rio Vltava. Desde 1950, é proibido o tráfego de veículos sobre a ponte, que se transformou em um calçadão movimentado.

Praça Venceslau
Václavské námestí
Apesar do nome, não é exatamente uma praça, mas uma avenida larga, que ficou famosa por ter sido palco de dois dos princípais eventos da história recente do país: o fim da Primavera de Praga e a Revolução de Veludo. A região foi totalmente reconstruída no século 19, quando ganhou a feição atual e seus prédios em estilo "art nouveau", como o Hotel Europa, no número 25.

Stavovské Divadio

Este teatro construído em 1789 em estilo neoclássico foi palco da première da ópera Don Giovanni, de Mozart, conduzida pelo próprio compositor, em outubro de 1787.

Praga de Kafka
Kafka viveu grande parte de seus 41 anos em Praga e muitos dos lugares que marcaram sua vida ainda podem ser visitados. O escritor nasceu em uma casa na esquina entre as ruas Maislova e U Radnice, próxima da praça central. No começo deste século, uma casa maior foi construída no lugar, mantendo apenas o portão original. Nela há uma pequena exposição permanente sobre o autor, com fotos, objetos e textos informativos.


Sugestão para leitura:

Theresienstadt
 

 

 
top